Pacientes que apresentam mamas caídas (ptosadas), flácidas, com excesso de pele e alterações na sua forma são candidatas a esta cirurgia. Algumas pacientes sentem também dores na coluna e outras, projetam os ombros para frente para esconder o volume.

PROCEDIMENTO CIRÚRGICO

A intervenção se efetua com as opções de anestesia local com sedação, peridural ou anestesia geral. As incisões cirúrgicas podem ser apenas ao redor da aréola; vertical (incisão abaixo da aréola no meio da mama até o sulco submamário); em forma da letra “L”, e em forma da letra “T” invertida. A escolha depende da experiência e da técnica utilizada pelo cirurgião, do tamanho das mamas e do grau de flacidez da pele.

PÓS-OPERATÓRIO

Duração dos resultados: variável em função da ação da gravidade, alteração do peso, gravidez e envelhecimento.

Complicações que raramente podem ocorrer: infecção, hematomas, assimetria, soltura de alguns pontos (deiscência de sutura), alterações nas cicatrizes, na sensibilidade e necrose de aréolas (raríssimas, porém merecem ser citadas).

RESULTADO

Benefícios: melhora do formato das mamas, diminuição do peso das mamas, diminuição da flacidez de pele e de algumas estrias que se localizam na porção inferior da mama. Há também uma melhora postural e diminuição da sobrecarga de peso na coluna tóraco-lombar. Há também melhora na auto-estima e nos relacionamentos interpessoais.