fbpx

Conheça novas técnicas para rejuvenescimento das mãos

Conheça novas técnicas para rejuvenescimento das mãos

Expostas aos efeitos externos o tempo inteiro, as mãos ‘entregam’ a idade, mas tratamentos podem ajudar a mantê-las mais saudáveis

As mãos passam a maior parte do tempo expostas às condições climáticas, atividades domésticas e física, têm contato com produtos químicos, material de limpeza e outras agressões. Tudo isso, somado ao processo de envelhecimento natural, faz com que a camada de gordura da mão se torne mais fina e flácida, o que contribui para uma aparência mais enrugada. Se, falar que, com passar dos anos, é normal o aparecimento de manchas.

As mãos, como dizem, denunciam a idade. A busca por técnicas de rejuvenescimento das mãos é um desafio para as clínicas dermatológicas. Trata-se de uma região delicada, o que implica em resultados sutis.

De acordo com a dermatologista Luciana Matayoshi, estimular a produção de colágeno é o primeiro passo. E associar a protocolos de alta tecnologia, como o Ultraformer III, um ultrassom micro e macrofocado para melhora da flacidez e estrutura da derme. “Neste tratamento é interessante a associação com bioestimuladores”, explica a médica.

A aplicação de laser de picossegundos ajuda a melhorar as manchas e as pigmentações mais resistentes causadas pela exposição. Outra indicação de Luciana Matayoshi é o uso do Endymed, uma multiplataforma de radiofrequência portátil, também conhecida como 3 Deep.

“Esse equipamento supera todas as tecnologias anteriores – monopolares, bipolares e multipolares – porque conta com seis eletrodos que trabalham simultaneamente voltados para o aquecimento volumétrico da pele em diferentes profundidades.”

Segundo a doutora Luciana, estão sendo obtidos ótimos resultados de rejuvenescimento das mãos e clareamento das manchas com o uso dessa tecnologia. O indicado é, após o microagulhamento, associar vitaminas e clareadores.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a primavera é uma boa época para realizar procedimentos estéticos dermatológicos, já que a recuperação é mais rápida neste período. Alguns procedimentos como aplicação de toxina botulínica, preenchimento com ácido hialurônico, tratamentos a laser, radiofrequência, peelings, microagulhamento e o ultrassom microfocado, são muitos comuns nesta época do ano.

“Não existe uma idade ideal para começar a cuidar da pele nem regra de tratamento para cada idade, mas, de um modo geral, a partir dos 25 anos, medidas preventivas devem ser adotadas, usando produtos especializados para cuidados com a saúde da pele, além de tratamentos dermatológicos que induzem a produção de colágeno e reparam danos solares”, explica a dermatologista Sylvia Ypiranga”.

Por Deborah Bresser
Portal R7

Fechar Menu
WhatsApp chat