Também conhecida como blefaroplastia, a cirurgia de pálpebra melhora a aparência das pálpebras superiores, das pálpebras inferiores, ou de ambas. A cirurgia proporciona aparência rejuvenescida na área ao redor dos olhos, fazendo com que o olhar pareça mais descansado e alerta.

Os primeiros sinais de envelhecimento facial surge nas pálpebras por volta dos 30 anos.

Pode ocorrer excesso de pele na pálpebra superior e também rugas e dobras de pele na pálpebra inferior. Pode também surgir bolsas de gordura e olheiras profundas.

As olheiras podem ocorrer em pacientes jovens e costumam ser hereditárias. Porém, podem ocorrer em pacientes anoréxicas, com desequilíbrios hormonais, que tomaram muito sol e que consomem habitualmente tabaco e álcool.

Na cirurgia das pálpebras melhora-se o excesso de pele e bolsas palpebrais e não se espera que melhorem os “pés-de-galinha”, localizados lateralmente à órbita. Para tratamento destes “pés-de-galinha” existe a toxina botulínica tipo A que é explicado na seção de estética deste site.

A intervenção se efetua com as opções de anestesia local com ou sem sedação. São realizadas incisões nas pálpebras superiores e inferiores e é retirado o excesso de gordura. As cicatrizes são de ótima qualidade e ficam dissimuladas nas pregas naturais das pálpebras, sendo difícil identificá-las após alguns meses.

Duração dos resultados: muitos anos.

Complicações: hematomas, assimetria, ectrópio (retração da pálpebra inferior deixando o olho vermelho e mais aberto), alterações cicatriciais, conjuntivite.

Benefícios: retirada de excesso de pele e bolsas palpebrais, melhora do aspecto de cansaço da face, melhora da auto estima.