Bloqueador solar: para quem e quando é indicado

You are currently viewing Bloqueador solar: para quem e quando é indicado

Hoje, a maioria das pessoas tem consciência de que é preciso se proteger do sol, especialmente em situações de grande exposição a ele, como praia ou piscina. E o bloqueador solar costuma ser o produto mais indicado nesses casos, por prometer uma proteção mais intensa.

Uma dúvida muito comum, aliás, diz respeito às diferenças entre o protetor/filtro solar e o bloqueador solar. Mas, é importante saber que eles são produtos que, embora tenham a mesma função (de proteger), agem de formas diferentes, sendo assim, cada qual mais ou menos indicado para cada tipo de pele e/ou de situação. Esclareça abaixo suas principais dúvidas sobre o uso do bloqueador solar.

Bloqueador solar: para que serve?
Fernanda Casagrande, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, explica que o bloqueador solar protege a pele contra os raios nocivos do sol. “Forma um escudo protetor, impedindo a queimadura solar e protegendo contra o câncer de pele”, diz.

Entre as principais vantagens deste tipo de produto, a dermatologista destaca:

– Previne o envelhecimento precoce da pele;
– Previne contra o câncer de pele;
– Protege contra queimaduras solares;
– Protege contra manchas solares;
– Oferece alta proteção, sendo ideal para determinados tipos de pele que precisam de um cuidado maior.

Como possível desvantagem, o bloqueador solar apresenta textura mais grossa e esbranquiçada quando comparada à textura dos protetores solares, característica que pode desagradar algumas pessoas.

Bloqueador solar e protetor solar: qual a diferença?

Confira quais são as principais diferenças entre estes dois tipos de produto, de acordo com a dermatologista Fernanda Casagrande:

  • Bloqueador solar: a dermatologista explica que os bloqueadores devem conferir um grau maior de proteção, pois possuem ativos que bloqueiam a passagem do sol. “Normalmente não possuem a cosmética muito agradável, pois são mais grossos e esbranquiçados”, diz. A maioria dos bloqueadores solares contém óxido de zinco ou dióxido de titânio na composição.
  • Protetor solar: Fernanda destaca que os protetores conferem uma proteção química. “Ou seja, diferentemente do bloqueador que bloqueia a passagem dos raios UV, os protetores permitem a passagem do sol, porém, quando ele chega na pele, essa radiação é convertida em calor e não causa danos”, explica.
    “Costumo indicar os bloqueadores em situações mais extremas de sol, como exposição na praia, piscina ou atividade física no sol. Para não ficar tão desagradável de usá-lo, costumo recomendar a sua aplicação e, por cima, um filtro com cor”, diz Fernanda.

A dermatologista ressalta que o bloqueador é de extrema importância para pessoas que possuem manchas solares, histórico de câncer de pele e alergias solares. “Já os filtros químicos (filtro/protetor solar), costumo indicar no dia a dia, mas com fator no mínimo 30. Eles possuem uma cosmética mais agradável e conseguem ter o toque extremamente seco”, acrescenta.

Existem diferenças importantes entre o bloqueador solar e o protetor solar. Assim como existem várias opções de bloqueadores solares à venda no mercado, tanto faciais como corporais. Por isso, a dica é consultar seu dermatologista de confiança para saber qual é o produto mais indicado para você.

Esteja também sempre atenta à embalagem dos produtos, pois muitas pessoas acabam comprando, por exemplo, protetor achando que é bloqueador (e vice-versa). Existem também ótimas opções de protetor solar com base.

Por Tais Romanelli
Dicas de Mulher